ABRASS – Associação Brasileira dos Produtores de Sementes de Soja

DSC_0071

Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, recebe comitiva da ABRASS em seu gabinete

Postado em: 03/08/2017

Durante o encontro, a Associação apresentou a insatisfação do setor quanto à falta de fiscalização sobre o uso de sementes piratas.

Uma das maiores queixas do setor de sementes de soja na última safra é referente à pirataria. Em busca de encontrar uma forma de acabar com essa prática, a Associação Brasileira dos Produtores de Sementes de Soja (ABRASS) reuniu, no dia 26 de julho, com o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi. No total, foram 15 representantes da associação, entre diretores e associados.

Durante o encontro, o presidente da ABRASS, Marco Alexandre Sousa, cobrou do ministério uma fiscalização mais efetiva sobre as sementes ilegais. “Em 2016, o setor de sementes de soja começou a afundar, devido ao crescimento do mercado pirata. Hoje, tem produtor exportando semente pirata de um estado para outro. É um mercado que está crescendo, e o ministério precisa fiscalizar”, reclamou.

O ministro Blairo Maggi considerou novidade as cobranças do setor e garantiu reunir sua equipe técnica e elaborar um plano de ação mais eficiente. “O assunto é bem novo para mim. Vamos montar um trabalho com os outros técnicos da área digital e, assim que a finalizarmos as questões referentes ao setor de carne, trabalhamos um novo procedimento geral para sementes. Sentaremos com vocês novamente e veremos o que podemos fazer para gerar segurança e evitar a pirataria”, assegurou.

Outro assunto reivindicado pela ABRASS refere-se à alteração do decreto que regulamenta a lei de sementes no país, Lei no 10.711/2003, e que há dois anos é discutido junto ao Mapa e outra entidades, mas ainda não foi assinado.

Ao encerrar a reunião, Blairo Maggi prometeu: “Quanto ao decreto, vou tentar tocar ainda esta semana”.

Fonte: Ascom ABRASS

Voltar