ABRASS – Associação Brasileira dos Produtores de Sementes de Soja

abrass_v2

Quem Somos

A Associação Brasileira dos Produtores de Sementes de Soja – ABRASS – foi fundada em 2012, com o objetivo de congregar em uma entidade de classe os produtores (multiplicadores) de semente de soja, setor que, por sua grandeza e dinamismo, clamava por um fórum multidisciplinar que capitaneasse as mais diversas demandas e fortalecesse a produção de sementes de soja, valorizando a atividade e seu produto final, que é revertido em benefícios para toda a cadeia produtiva da soja.

O maior patrimônio da ABRASS reside em seu corpo de associados, distribuídos por onze estados e no Distrito Federal, representando cerca de 70% da produção de sementes de soja do Brasil.

A ABRASS tem sede em Brasília (DF) e atua em prol das boas práticas na produção de sementes, regulamentação jurídica, marcos legais, difusão de produtos que levem competitividade ao agricultor, aperfeiçoamento de instrumentos de políticas públicas e outras frentes de desenvolvimento da cadeia produtiva.

Missão

Defender os interesses dos produtores (multiplicadores) brasileiros de sementes de soja, por meio de ações coordenadas, pautadas pelo compromisso profissional e pela ética, no âmbito político, organizacional e econômico.

Visão

Ser reconhecida pela excelência de suas ações na valorização e ampliação da competitividade dos produtores (multiplicadores) de sementes de soja do país.

Objetivos
  • Trabalhar em prol do fortalecimento do setor e da legitimidade de um sistema de produção de semente de soja organizado, com a participação efetiva dos produtores (multiplicadores) de sementes;
  • Interagir com obtentores vegetais e detentores de processos biotecnológicos, na busca do desenvolvimento de um sistema de licenciamento mais equilibrado, alinhando as boas práticas comerciais com a remuneração adequada das tecnologias;
  • Contribuir com a difusão de produtos e serviços que tragam maior competitividade na produção, agregando valor e maior qualidade às sementes de soja;
  • Contribuir para a melhoria das operações de tratamento industrial de sementes, por meio do aprimoramento do ambiente regulatório e econômico desta atividade; e
  • Aperfeiçoar os instrumentos de políticas públicas, proporcionando maior segurança jurídica para os produtores (multiplicadores) de sementes de soja.